French
Portuguese

Zimbabwe: Operar milagres

Time Baluwa, Coordenador para o Desenvolvimento Juvenil Integral, Harare

O Programa de Prevenção do HIV e da SIDA para os Jovens da AJAN (AHAPPY) está a operar milagres. Há jovens que passaram pelo programa AHAPPY e que experimentam uma grande transformação: de indivíduos que se culpam a si mesmos e são passivos a pessoas confiantes e assertivas. Temos feito a experiência de lidar com jovens que vivem com o HIV e que se transformam, deixando de ser apenas pacientes para serem indivíduos pró-ativos e livres.

O tom usado no programa AHAPPY promove um sentimento de valorização, dando aos jovens um sentido para a sua existência e uma clareza de direção. E quando isto é oferecido a quem nada tinha, é um milagre.

Damos sempre realce à transformação operada num rapaz, chamemos-lhe Sam, que veio a morrer aos 15 anos de idade. Tinha nascido com o HIV e tinha sido alvo de estigma e discriminação. Isto tinha-lhe dado um carácter reservado, com pouca confiança em si próprio, com falta de autoestima e amargo acerca da vida. Os resultados escolares não eram bons, e ele talvez não encontrasse nenhuma razão para se esforçar. Embora estivesse a receber a TAR, a sua saúde era débil devido a uma fraca adesão ao tratamento. Era esta a sua situação quando foi enviado para o nosso programa de formação por um conselheiro do Hospital Nazaré.

A experiência que o Sam veio a ter com o AHAPPY deu-lhe energia para lidar com a sua fraca imagem de si próprio e do mundo e melhorou a sua adesão ao tratamento. Mais tarde, Sam veio a desenvolver complicações relacionadas com a resistência à medicação, pois tinha tomado os antirretrovirais de modo irregular durante demasiado tempo. Mas, nessa altura, já estava mais pacificado consigo mesmo. Sentimos ter sido um privilégio poder ajudar o Sam a conseguir este milagre, ainda que apenas para os seus últimos meses de vida.

A palavra ‘milagre’ pode, por vezes, prestar-se a confusões. Para alguns, o que lhes vem à mente é o milagre instantâneo, que acontece, por exemplo, quando alguém numa cadeira de rodas começa de repente a andar. Não contesto este tipo de milagre, mas o que apresento aqui é de outra ordem, algo que habitualmente não acontece instantaneamente, mas ao longo do tempo. É o milagre do ser interior, que transforma os aspetos essenciais do ser humano que são invisíveis a olho nu: conhecimento, crenças, atitudes, perceções e valores.

No projeto Desenvolvimento Integral Juvenil (IYD – Integral Youth Development, o que era antes o Projeto Jesuíta contra a SIDA, o JAP, ou Jesuit AIDS Projet), podemos ver o milagre a acontecer graças à matriz muito eficaz de monitorização que faz parte da estrutura do AHAPPY, e que revela os detalhes que precisamos de conhecer. Porque o milagre está no detalhe.

Desde a sua origem, o AHAPPY estruturou as suas atividades numa matriz que assinala os objetivos, atividades, resultados, indicadores e meios de verificação. A orientação para os resultados deste programa permitiu-nos medir o seu impacto. Embora o elemento qualitativo desta abordagem tenha sido, e ainda é, impressionante, é o aspeto qualitativo que realmente nos motiva e encoraja a persistir.

Os jovens enfrentam hoje inúmeros desafios; o HIV e a SIDA correspondem apenas a um de entre eles. Estes desafios podem agir sobre o seu ser interior e torná-los infelizes e membros irresponsáveis da sociedade. A força do AHAPPY reside na sua capacidade de transformar o seu ser interior para que se tornem melhores pessoas. O processo para alcançar este desiderato não é fácil, é um milagre a acontecer.